Inteligência artificial cria apresentador virtual para programa de TV

Totalmente independente, repórter virtual da agência de notícias é capaz de ler boletins esportivos sem interferência humana
A agência de notícias Reuters anunciou o seu primeiro protótipo para a criação de um apresentador de TV totalmente orientado por inteligência artificial. Completamente automatizado, o repórter virtual foi criado para o noticiário esportivo e é capaz de fazer comentários sem nenhum script, edição ou produção humana. O projeto, divulgado em 7 de fevereiro, está sendo desenvolvido em parceria com a start-up londrina Synthesia.
O novo sistema utiliza inteligência artificial para agregar imagens pré-gravadas de um jornalista humano a boletins noticiosos completamente inéditos. A técnica se assemelha à empregue nos vídeos deepfake, em que a IA reconhece expressões e movimentos a partir de um banco de dados com imagens que mostram vários ângulos do rosto da pessoa. Nesse caso, o apresentador gravou uma série de falas sobre a Premier League, campeonato inglês de futebol.
“Primeiramente, usamos um algoritmo para combinar a fotografia e os relatórios da partida em tempo real com um feed de dados minuto a minuto do que aconteceu no jogo”, explicou Nick Cohen, chefe de notícias da Reuters, em entrevista à revista Forbes. Segundo ele, o mecanismo permite criar um roteiro sobre qualquer notícia.
“Em segundo lugar, trabalhamos com a Synthesia para filmar nosso editor de esportes e usamos sua tecnologia para criar uma versão dele gerada por inteligência, que pode ‘ler’ qualquer versão do roteiro dentro dos parâmetros definidos”, completou Cohen.
Em comunicado oficial, a Reuters afirmou que o protótipo é apenas uma “prova de conceito”, com o objetivo de mostrar o potencial dos serviços de notícias em tempo real quando aliados à tecnologia de inteligência artificial. Segundo a agência, o sistema ainda está em fase de protótipo e tem sido usado apenas para reportar notícias sobre partidas de futebol.
No entanto, Cohen não descarta a possibilidade de implementação da tecnologia em larga escala e em outras áreas além do esporte. “Embora o projeto ainda seja um protótipo, estamos realmente empolgados em explorar novas maneiras de usar imagens, relatórios e feeds de dados em tempo real para alimentar novos tipos de experiências de notícias impulsionadas pela IA”, disse à Forbes.
Via Forbes e Reuters

Oito truques que vão mudar o jeito como você faz pesquisas no Google

Oito truques que vão mudar o jeito como você faz pesquisas no Google
Dicas envolvem digitar os termos certos para filtrar resultados mesmo antes da buscar.

Alguns truques de pesquisa do Google podem ajudar a refinar os resultados e a chegar rapidamente ao conteúdo desejado. Embora a empresa use algoritmos sofisticados para tentar decifrar o que o usuário deseja por trás de algumas palavras digitadas, existem maneiras de abreviar os resultados, filtrando o que mais interessa mesmo antes de dar Enter. É possível, por exemplo, pesquisar palavras específicas e excluir determinados temas, usar frases incompletas e obter definições de qualquer tipo de termo digitado no campo do buscador. Veja oito dicas para explorar as maneiras de pesquisar na web.

1. Usar sinal de menos para excluir palavras
Um sinal de menos remove resultados relacionados a uma determinada palavra. O recurso é útil para evitar informações desnecessárias ao buscar um termo com múltiplos significados. Ao pesquisar “servidor -computador”, por exemplo, o Google retorna apenas com páginas sobre funcionalismo, excluindo conteúdo de informática.

2. Usar aspas para procurar por uma frase exata
Ao pesquisar por frases inteiras, use aspas para encontrar páginas que mencionam uma combinação específica de palavras. O recurso ajuda quando é preciso encontrar citações de artigos científicos ou de entrevistas sem precisar rolar por links que mencionam apenas trechos do termo completo. O truque pode servir também para identificar plágio: digite a frase suspeita completa entre aspas para saber se a mesma construção já foi publicada antes em outro lugar.

3. Usar “site:” para pesquisar páginas internas
Se a ferramenta de busca de um site não é muito boa, use o Google para encontrar páginas internas desejadas. Para isso, digite “termo + site:”, seguido pelo domínio principal. Por exemplo, para encontrar todas as notícias, fotos e outros materiais relacionados ao criador do Facebook no TechTudo, digite “mark zuckerberg site:techtudo.com.br” e obtenha uma lista de todos os conteúdos correspondentes.

4. Usar “filetype” para pesquisar determinado tipo de arquivo
É possível usar o Google para encontrar um arquivo específico sem precisar visitar páginas intermediárias. Para isso, digite a busca seguida de “filetype:” e o tipo de arquivo desejado. Por exemplo, é possível buscar sobre artigos científicos sobre o coronavírus em PDF com “coronavirus filetype:pdf”.

5. Usar “define” para definir uma palavra
O Google pode mostrar definições de algumas palavras automaticamente, mas é possível forçar essa função específica do site para qualquer termo de busca. Digite “define:” seguido do termo que você deseja obter a definição. O recurso funciona para obter significado de substantivos e verbos, assim como para outros elementos da Língua Portuguesa, como prefixos e sufixos.

6. Usar “related” para encontrar sites semelhantes
A função “related” do Google permite encontrar páginas com temática semelhante na Internet. O recurso é útil, entre outras coisas, para explorar alternativas a lojas famosas ou obter a lista de sites de todas as universidades do país: digite “related:uff.br”, por exemplo, para descobrir os endereços de todas as federais.

7. Usar asterisco para trechos desconhecidos
Um asterisco pode substituir palavras desconhecidas em uma busca de frase inteira. O truque serve para obter todas as variações possíveis de um determinado ditado ou trecho de livro, por exemplo, mesmo que uma ou outra palavra do meio sejam desconhecidas. O mesmo vale para encontrar a letra de uma música a partir de um refrão incompleto ou ambíguo: basta escrever o trecho conhecido entre aspas e deixar um asterisco onde houver dúvida.

8. Usar “OR” para fazer várias buscas ao mesmo tempo
O Google permite usar o termo “OR” para fazer mais de uma busca independente ao mesmo tempo. O truque é útil para combinar busca de passagens com múltiplos destinos possíveis, algo normalmente impossível de fazer em buscadores de voos. Digite, por exemplo, “passagem de “sao paulo” OR “rio de janeiro” para lisboa” para obter links de pesquisas das duas cidades.

10 dicas para um bom convívio em coworking

As pessoas estão optando por espaços mais próximos da sua casa e em ambientes mais criativos, para evitar o trânsito e melhorar sua qualidade de vida. Também, é claro que a tecnologia está mudando a dinâmica do mundo, e o ambiente de trabalho não é exceção. Os escritórios estão mudando e os resultados disso têm transformado a vivência profissional de muitas pessoas. Esse cenário se mostrou favorável às empresas de coworking, que precisaram se reinventar para oferecer uma experiência única e excepcional aos executivos que se mostram cada vez mais exigentes.

Não é porque trabalha sozinho ou com uma equipe reduzida em um coworking que o ambiente não há regras — muito pelo contrário. São nesses espaços que elas são essenciais para que não comprometa compromissos profissionais dos outros usuários. Mais do que uma lista de regras, é uma questão de bom senso e respeito, algo que também faz parte de qualquer ambiente de trabalho.
Para isso, Tiago Alves, CEO da IWG, maior grupo de coworking do mundo e detentor das marcas Spaces e Regus no Brasil, elencou 10 dicas para o convívio nesses espaços:

1) Cuidado com o barulho

Tenha consciência de que você está dividindo espaço com outros profissionais que, assim como você, precisam se concentrar. Portanto, controlar o volume da voz é importante. Se preferir, procure uma área do coworking mais reservada para fazer uma ligação ou reunião com menos pessoas em sua volta. Nesses casos, o ideal é buscar alguma cabine privativa para tratar assuntos sigilosos, por exemplo.

2) Use fones de ouvido

Ao efetuar ligações, ouvir música ou assistir algum vídeo, opte sempre por fazer isso com fones. Eles são essenciais nesses ambientes. Assim o som do seu equipamento não atrapalhará as pessoas ao seu redor.

3) Respeite a agenda das salas de reunião

Exceder o tempo de uso de uma sala pode atrapalhar a reunião de outro usuário que se planejou para usar a mesma logo após você. Verifique a disponibilidade das salas e siga os horários à risca.

4) Socialize

Aproveite o ambiente compartilhado para se relacionar, trocar ideias e experiências. Uma forma de acelerar esse processo de networking é aproveitar os espaços comuns do coworking — uma vez que, ao dividir espaços com outros profissionais é mais fácil iniciar uma conversa e quem sabe também o fechar negócios.

5) Respeite o horário de trabalho dos outros usuários

Socializar é bom, mas não puxe papo toda hora. Use seu bom senso e evite desconcentrar os colegas. Perceba os sinais de “não perturbe”.

6) Menos é mais

Não é necessário levar mais do que seu notebook para um ambiente de trabalho compartilhado. As unidades de coworking, geralmente são equipadas e prontas para os clientes usufruírem das instalações, que contam com salas de reunião, business lounge, acesso à internet, apoio administrativo sob demanda, estacionamento, entre outros serviços.

7) Participe dos eventos

Além da troca de conhecimentos que pode acontecer diariamente entre os usuários, participe dos eventos realizados no local. Workshops e palestras têm sempre a contribuir para seu currículo e sua rede de networking.

8) Reporte comportamentos que fujam às regras

Ao identificar algum comportamento que não se adeque ao local de trabalho, o primeiro passo é informar para a equipe interno do espaço, uma vez que eles poderão tomar as devidas medidas. Se for algo recorrente, o melhor é usar os canais de comunicação para apresentar a devida reclamação — o que tem se mostrado raro nesses ambientes, pois entre mais de 30 mil clientes no Brasil, o índice de conflitos é quase nulo.

9) Organização na cozinha também é essencial

A regra básica é: se sujou, limpe — quebrou, reponha. As geladeiras dos refeitórios também são compartilhadas, portanto evite colocar itens grandes para que todos tenham oportunidade de utilizá-la. Não consuma alimentos de outras pessoas e também não esqueça comida na geladeira, pois o alimento pode acabar estragando dentro do refrigerador.

10) Não monopolize um lugar

Como o próprio nome diz, o local de trabalho compartilhado permite a rotação de lugares dentro de um centro de coworking. No geral, 20% dos espaços são rotativos, mas 80% geralmente são destinados de maneira fixa às empresas, ou seja, dificilmente falta lugar para se trabalhar.

O conceito de um espaço compartilhado é incentivar a interação interpessoal de forma espontânea. Ao ter um bom convívio nesses ambientes, a produtividade pode aumentar, especialmente se comparar com o trabalho home office, uma vez que há menos distrações e é possível marcar reuniões no mesmo espaço.

Fonte: Site Valor Agregado / Link: https://valoragregado.com/